“O cachorro é mais fiel que um filho, mais obediente que um criado e mais dócil que uma criança. Olha a cara do seu dono para saber o que ele quer, a fim de cumprir sua vontade sem esperar uma ordem, e o faz com prontidão e alegria. Eu devo praticar todas estas belas propriedades no serviço de Deus” (Aut  671).

A LEALDADE DO AMOR

O cão representa a vida cotidiana, o que temos em casa ou muito perto dela. É um animal de companhia de pobres e de ricos. Alguns desses chegaram à aberração de construir mausoléu para seu cão ou de deixar a herança, insensíveis ao mesmo tempo à miséria e ao sofrimento de tantos seres humanos.

Para Claret o cão lhe é familiar, mas de outra maneira. Olhando seu comportamento, convida-nos a irmos mais além da nossa vida cristã. O que podemos aprender do cão? Claret é capaz de ver em sua atitude uma chamada a sermos mais leais em nossa vida de filhos de Deus. A fidelidade não está de moda. Hoje tudo é passageiro. Coloca-se data de validade até para o mais sagrado. Tentemos nós captar este dia como uma oportunidade para irmos mais além em lealdade, em fidelidade, para sermos melhores filhos de Deus.

No cão Claret percebe uma chamada a sermos mais obedientes, mais discípulos. A obediência do discípulo começa pela escuta. Hoje custa encontrar quem escute de verdade e quem obedeça. Este dia é uma oportunidade para irmos mais além como discípulo na obediência.

Na conduta do cão Claret percebe uma chamada a sermos mais dóceis, a estarmos mais disponíveis para aprendermos. Jesus nos diz que devemos fazer-nos dóceis como uma criança para entrar no Reino. Custa encontrar quem esteja disposto a deixar seu critério para aprender mais e servir melhor; existe muita autossuficiência. Hoje temos a oportunidade de irmos mais além na docilidade.

Fixando-se no cão, Claret o convida a ter levantado o olhar para Deus para perceber sua Palavra, sua vontade, e, sem esperar amanhã, acolhê-la já com a maior prontidão e alegria.
Pratico eu, em minha vida cotidiana, a lealdade, a obediência e a docilidade? Estou pendente da Palavra de Deus para deixar que ela dê forma à minha vida? Aqui estou, Senhor, dai-me a graça de conhecer e fazer vossa vontade com prontidão e alegria.